Mensagem Recente


03/08/2016


Caros amigos,

Após verificar dúvidas, comentários sem sentido, e informações que não condizem com a realidade dos fatos, me sinto obrigado a lembrar que o cargo de interventor e liquidante tem por obrigação contratual e legal cumprir determinados itens da lei de previdência complementar 109, e, não me alongando, escrevo os dois principais para nós quais sejam : “o dever de cuidar e proteger os interesses dos participantes e administrar seus recursos visando cumprir com as determinações da lei e da PREVIC”.

 Lembro que a administração e estratégia para tal administração cabe ao administrador ou, no caso, ao liquidante, e a característica e estratégia dos administradores José Crespo e José Pereira eram ter recursos para sustentar os participantes pelo maior tempo possível na busca de uma solução adequada para seus planos, pois existiam ações “ tarifária e terceira fonte”, mas com o evento da antecipação de tutela o Sr. José Pereira continuou com sua estratégia de reter recursos para em interrupção, até como ocorreu da antecipação de tutela, continuar suprindo os pagamentos com os recursos que eram do conhecimento de todos do plano I, sendo o plano mais carente e já com prazo definido em comunicados.

Acredito que quando do pagamento das antecipações de tutela das viúvas, que até então estavam aguardando uma solução por parte PREVIC, este pagamento ocorreu sem que o rateio de crédito pago anteriormente fosse descontado, causando a falta de isonomia com os planos em andamento.

Ora duas providências poderiam ter sido tomadas, ou seja, ou deveriam ser providenciados descontos futuros mês a mês recuperando assim a estratégia dos antigos liquidantes, ou a que foi adotada, pagar o que tinha sido retirado dos assistidos e assistidos dependentes anteriores.

Consequências naturais:

 O plano I cujos recursos já estavam escassos há bastante tempo, e do conhecimento de todos, ficará aguardando o desfecho de ações e processos existentes a receber, sendo a solução esperada por todos.

O plano II ainda possui recursos.

Após idas, vindas, e outras conversas, fui surpreendido por um comentário que me pareceu o mais humano e correto para a solução que foi dada, e parabenizo assim a solução adotada que permitiu a muitos assistidos com idade avançada a possibilidade de ter uma soma considerável de recursos.

Como é do conhecimento de todos fomos surpreendidos pelo fato, e externamos a alguns a preocupação de contenção de gastos, coisa que sempre consideramos prudentes na nossa idade.

Aproveitamos para informar que, segundo informações que me foram passadas, ontem à noite foi votado o Orçamento anual de 2017, tendo sido aprovado sem ressalvas e o nosso compromisso para o AERUS está lá.

Para outros menos informados, devemos fazer a colocação que não foi o Sr. José Pereira que pagou as viúvas, pois na época estava como liquidante da PORTUS, lamentamos mais uma vez informações que nada dizem quanto a realidade dos fatos ocorridos, mas que foram muito bem aceitos pela nossa população.

Lembramos também, que ainda neste mês teremos nossos trabalhos solicitados pelo Interventor/Liquidante elaborados para que seu objetivo seja atingido.


Continuemos assim com nossa FÉ


Thomaz Raposo APRUS